Como trabalhar regionalização em SEO

Segmentação é um dos conceitos mais aplicados nas táticas de marketing e publicidade tradicionais. O foco dessa ideia pode ser resumido no seguinte: migrar do ambiente massificado para parcelas de clientes em potencial.

Na prática, a segmentação pode ser definida como a seleção de grupos de consumidores com perfis que estejam alinhados ao que você tem a oferecer.  Ou, mais precisamente, trata-se de escolher os clientes certos.

E dentro do SEO esse conceito está relacionado, intimamente, à regionalização, ou seja, em aplicar as estratégias on- pagee off- page para melhorar o posicionamento de acordo com a localização geográfica do internauta que está em busca do seus produtos e/ou serviços.

Dessa forma, o objetivo será aumentar a visibilidade da marca não só na web como um todo, mas nas regiões em que a empresa atende. Essa abordagem pode ser a mais certeira para marcas que são capazes de atuar dentro de um determinado raio de sua localização física.

Utilize uma extensão de domínio local

O primeiro passo para começar a trabalhar a regionalização no SEO de um site ou e-commerce é escolher um domínio com extensão local. Ok, pode parecer uma dica boba, mas o fato é que muitos empreendedores ignoram a importância do .br ao final do endereço do site.

Como muitas marcas utilizam expressões ou nomes estrangeiros, a ausência do .br pode “confundir” os motores de busca e excluir o site do devido posicionamento em seu país de atuação.

Indo além: segmentando por estado ou cidade

Já temos uma extensão com domínio local. Mas isso é só início. Para aplicar, de fato, a regionalização no SEO é preciso fazer a segmentação por estado ou cidade, por meio de palavras-chave.

A melhor forma de se fazer isso é implementando conteúdo otimizado com termos como “seguro de carro rj”, para uma seguradora, por exemplo. Além disso, é importante trabalhar focado em outros termos que o internauta pode utilizar para a busca de um determinado produto ou serviço. Seguindo o exemplo acima mencionado, poderíamos trabalhar também com “seguro automóvel rj” ou mesmo “seguro automóvel Parati” – segmentando por cidade.

A importância das ferramentas de geolocalização

De nada adianta trabalhar com termos locais se a sua empresa não estiver visível no Google Maps. Quando se trata de SEO regional a melhoria do ranqueamento também depende da presença no Maps e no Google Meu Negócio.  Por isso, não esqueça de fazer a sua página nesse último!

É essa integração que irá gerar possibilidades de alcançar ótimas colocações na primeira página, já que o buscador também prioriza o fornecimento do endereço completo da loja ou empresa que o internauta procura.

Ainda dentro dessa tática é importante incluir sua empresa em listas de endereços como Guia Mais, TeleListas, iLocal para aumentar as possibilidades de angariar comentários e avaliações de internautas em buscas regionais.

Mobile SEO

Segundo pesquisa do Google, 40% das buscas móveis são com intenção local. Tal estatística só demonstra a importância de trabalhar a otimização para dispositivos móveis com o objetivo de aplicar uma estratégia realmente eficaz de SEO Regional.

E nesse cenário surgiu um jogo de sílabas curioso, que tem se tornado quase um mantra para os especialistas de SEO: SoLoMo. O significado? Social+Local+Móvel.

Trata-se de uma fusão de conceitos que visa otimizar a experiência do usuário de tablets, celulares, smartphones e outros dispositivos móveis.

Mas, por onde começar? O primeiro passo é tornar o site responsivo, ou seja, adequado para visualização em celulares, tablets e smartphones. Também é aconselhável usar detecção de User Agent de forma dinâmica, inserindo sumário para o conteúdo e redesenhando o layout do site para telas de aparelhos mobile.

Pode-se dizer, portanto, que os resultados no SEO Regional podem ser observados em um curto período de tempo, já que a concorrência de termos chave é, na maioria das vezes, menor.  Isso porque você não estará competindo com as outras marcas do país, mas somente com os concorrentes diretos do seu estado ou cidade. Em uma analogia simples: é bem mais fácil se tornar o peixe maior em uma lagoa pequena, do que no mar. Comece agora a pensar nas suas estratégias de regionalização.

Fonte: E-commerce Brasil

Anúncios

Produto encalhado no estoque da sua loja virtual? Tem solução!

caixa

  • —  Assim como as lojas físicas, espalhadas por aí nas ruas e shoppings, a maioria dos e-commerces também possuem estoques. Justamente por isso, existe a necessidade de um investimento inicial não tão pequeno para garantir a compra dos itens que serão vendidos no ambiente on-line. E daí, surge uma segunda necessidade quase que imediatamente. Você precisa vender os produtos do seu estoque para fazer sua empresa girar. Se esse fluxo seguir, seu negócio estará muito mais próximo de ser economicamente saudável. Mas, e quando alguns produtos não contribuem para a movimentação financeira?
É comum que um comerciante se empolgue com a boa venda de alguns produtos em seu e-commerce e deixe de prestar atenção naqueles que seguem parados no estoque. Comum, mas nem por isso correto. É preciso checar há quanto tempo um item se encontra nas “prateleiras”. Você confere regularmente os relatórios de saída de mercadorias? Aliás, sua empresa emite relatórios quinzenais ou mensais que mostram como cada produto tem se comportado frente às vendas? Ter total conhecimento de como anda seu depósito é essencial para evitar a perda de itens comercializáveis e planejar estratégias de desencalhe.

Antes de qualquer coisa, se você trabalha com produtos com prazo de validade determinado, como suplementos alimentares, fique atento ao vencimento. Afinal, é inaceitável levar prejuízo porque um produto estragou no estoque. Faça promoções, baixe preços e anuncie a oferta. Ainda que seja preciso igualar o preço de venda àquele pago para adquirir o item, é melhor do que arcar com o prejuízo.

Se sua loja opera com bens não perecíveis, ainda é preciso verificar como anda o estado de conservação. Veja se a armazenagem dos objetos é segura para a manutenção da qualidade. Caso algum produto tenha sido esquecido e agora apresente embalagem desgastada ou uma peça de roupa esteja suja com poeira, por exemplo, não leve para comercialização – nem sob ofertas. Mantenha a qualidade do seu e-commerce, mesmo diante do prejuízo. Acredite, é preferível assumir essa perda à lidar com a insatisfação do cliente.  Ainda que o consumidor não solicite a troca, provavelmente não voltará a comprar em sua loja e, pior, fará propaganda negativa.

Hora de colocar os produtos em boas condições para andar. Analise e-commerces concorrentes e confira se o seu preço é competitivo. Ainda que ele fosse competitivo na época da aquisição, a concorrência pode ter baixado o preço, fazendo com que que sua oferta não seja mais satisfatória para o cliente. Lembre-se que ignorar o trabalho realizado pela concorrência é inadmissível no cenário online. Aqui, não existem barreiras geográficas que justifiquem grandes oscilações de preço.

Agora, se o problema for realmente falta de interesse do consumidor pelo perfil do produto oferecido, arme estratégias de venda. Ofereça descontos, condições diferenciadas de pagamento e coloque o produto como chamariz da página principal. As estratégias de marketing digital estão aí para ajudar nesses desafios, aposte em e-mail marketing, mídias sociais e links patrocinados para fazer seu estoque girar.

Outra alternativa que pode ser vantajosa para você e para o seu cliente é a oferta de descontos em compras combinadas. Assim que seu cliente colocar algum produto – que tenha relação com o encalhado – no carrinho de compras, programe sua página para que apareça a oferta de compra combinada com um preço reduzido. Ou mantenha o item “problemático” como produto relacionado (na parte lateral ou inferior da página) e com desconto.

Tenha em mente que não basta reduzir o preço para liberar um produto do seu estoque. O desafio é maior… É preciso criar o desejo de compra por algo que não tem despertado o interesse de seus clientes. Para não cair nessas armadilhas, controle com precisão o andamento do seu estoque e assim garanta compras de estoque mais inteligentes. Não comprometa a rentabilidade do seu negócio por falta de planejamento.

Fonte: E-commerce Brasil

Pesquisa: 5 maneiras para conquistar visibilidade no Facebook

Pesquisa: 5 maneiras para conquistar visibilidade no Facebook

A queda do alcance orgânico dos posts no Facebook é um dos maiores desafios enfrentados pelos anunciantes. Devido à concorrência, os usuários da plataforma estão constantemente em contato com milhares de publicações. O objetivo da rede social é filtrar os conteúdos de melhor qualidade para serem exibidos nos feeds de notícia do público. A empresa TrackMaven analisou 5.804 fanpages (cada uma com, no mínimo, mil curtidas), abrangendo 1.578.006 postagens para determinar os elementos que mais geram interações. Confira as cinco estratégias mais eficientes para conquistar visibilidade na rede social:
1. Agende suas publicações
Para ganhar espaço no News Feed da audiência, as marcas devem programar suas publicações para as horas mais eficientes, e não as mais populares necessariamente. Apesar de a maioria dos anunciantes postar seu conteúdo de segunda à sexta, as postagens publicadas aos domingos geram 2,72 mais interações.

 

2. Invista no visual
No total, 88% dos posts analisados na pesquisa contêm imagens. Dados indicam que eles geram 37% mais interações do que as publicações que possuem apenas textos.
3. Pontue suas publicações
A pontuação é um detalhe muitas vezes subestimado. Entretanto, ela transmite um valor emocional que permite às marcas se conectarem ao público de forma mais humanizada. Das postagens estudadas, 71,17% não utiliza qualquer pontuação, mas aquelas que utilizam (pontos de exclamação, principlamente) apresentam uma média de 2,7 mais engajamento.

 

4. Utilize hashtags
Apesar de apenas 1 em cada 6 publicações analisadas utilizar hashtags, aquelas que contêm observaram um engajamento 60% maior. Embora posts com 1 ou 2 hashtags tenham apresentado resultado melhor do que aqueles com 3 ou 4, as publicações com mais de 4 atingiram as taxas mais elevadas de interação.
5. Inclua textos mais longos
Segundo o estudo, a eficiência das postagens está ligada também ao número de palavras. Posts com 80 a 89 palavras obtiveram duas vezes mais engajamento, com uma média de 6,19 interações, do que aqueles que continham textos mais curtos. De acordo com o psicólogo e professor de economia comportamental Dan Ariely, o cérebro humano tem uma tendência a mudar as preferências das pessoas em relação às coisas nas quais elas investem energia. Essa teoria é conhecida como efeito IKEA. Assim, os usuários podem ser mais propensos a interagir com publicações mais extensas porque eles investiram mais tempo na leitura.

 

Com informações do The Next Web 

O consumidor Omnipay no mundo Omnichannel

images (1)

Está cada vez mais evidente dentro do setor do varejo que não é possível viver em função de um canal de vendas em detrimento de outros. A homogeneidade entre as mídias avança paralelamente com a evolução tecnológica. A discussão de quais mídias são as mais eficientes perde o sentido se avaliarmos que o mais importante é na verdade a convergência da informação que flui por elas para atingir o target desejado. Entre os dias 29 de setembro e 1° de outubro participei do Shop.org, realizado pela NRF (National Retail Federation), em Seattle (EUA), com a presença de grandes varejistas norte-americanos. O evento também contou com a presença de empresas renomadas da área de tecnologia e promoveu debates de temas relacionados ao e-commerce global. A participação de brasileiros no evento foi maciça, comprovando o interesse de empresários e empreendedores do nosso País no investimento contínuo de conhecimento e novas práticas que possam ser aqui aplicadas. Entre os inúmeros assuntos, observei um interesse maior em torno do tema do Omnichannel. É claro que o consumidor não tem um comportamento previsível e uniforme. Um grande varejista questionado sobre a expansão de suas lojas físicas em uma economia cada vez mais digital, citou o exemplo de uma inauguração muito bem sucedida em vendas potencializadas pelos recordes de acesso de seus canais digitais justamente das pessoas que estavam em sua loja naquele momento.  É o consumidor em ação, interagindo o tempo todo, mas que espera total convergência de informações seja qual for o canal que escolheu. O consumidor que hoje opta pela compra no site para receber em casa, amanhã pode optar por comprar na loja e receber em casa. Pode-se achar conveniente não se deslocar à uma loja, ao mesmo tempo em que outro consumidor entende que sua conveniência é justamente levar seu produto no ato da compra ao se dirigir para uma loja física. Esse é o desafio: como atender esse consumidor omnichannel de forma integrada inovando continuamente com boas práticas de ações de mídia social, atuando principalmente em toda a cadeia de suprimentos das empresas. O comportamento desse consumidor traz também uma questão interessante: como medir o desempenho entre os diversos canais de atendimento, assumindo que cada um deles atua à sua maneira na conversão das vendas. Muitas empresas ainda analisam seus resultados de forma isolada por canal de efetivação da compra: internet, televendas, lojas físicas etc. No entanto, não me restam dúvidas que os resultados deveria reconhecer a contribuição de todos de forma integrada, olhando-se o “todo” e não apenas as “partes”. O mesmo se aplica às formas de pagamento. A cada tecnologia de pagamento que “nasce” no mercado, rapidamente escolhe-se aquelas que irão “morrer”. A empresa de pesquisa Forrester apresentou dados em que as taxas de conversão das tecnologias de pagamentos baseadas em desktops/notebooks são quase 3 vezes superiores às dos smartphones. Busca-se facilidade no uso de uma plataforma de pagamentos, mas é imprescindível que o usuário sinta-se seguro, principalmente com a integridade e confidencialidade de suas informações bancárias e pessoais, já que as fraudes também avançam com muita velocidade. A evolução tecnológica é contínua nesse processo e está favorecendo consumidores na hora da compra. Conferir produtos, avaliar suas características, ter opções de escolha, checar opiniões, comparar preços e, por fim, adquirir o produto pode ser mais confortável em uma tela maior de um desktop ou tablet. Ao mesmo tempo, pode ser mais conveniente realizar uma recompra de um produto conhecido em um aplicativo nativo no smartphone. A palavra aqui é muito mais “ampliar” novas formas de pagamentos e não necessariamente “substituir” existentes. O tempo fará isso naturalmente. Na verdade, acredito que o exercício de se debater à exaustão modelos vencedores de plataformas de pagamentos pode sse tornar somente interessante aos apaixonados pelo tema, já que para aqueles que buscam atender melhor e de forma prática o cliente “hiperativo” omnichannel, quanto mais opções de pagamento, melhor a conversão. Estaríamos diante de um consumidor “Omnipay”?

Fonte: E-commerce Guide

A audiência de massa está morrendo

Jill Corey [Misc.]

Todo dia sentamos em nossos escritórios pensando sobre como podemos vender nossos produtos para os consumidores.

Horas são gastas em discussões sobre estratégias, números, posicionamentos e tudo mais que as marcas precisam falar transmitir oferecer. Preços são discutidos, logística, estratégias de “Product Placement” e “Omni-Channel”.

Ao sair para rua, porém, todas essas estratégias e técnicas são esquecidas e todos nós novamente nos transformamos em simples seres humanos e não mais decifradores de consumidores.

Somos indivíduos únicos. Desleixados ou não. Tristes ou felizes. Preocupados ou despreocupados. Com ou sem dinheiro. E ninguém tem comportamento de “target”, “demografia” ou “audiência”. Apenas pessoas.

Ainda assim um conceito fortemente presente dentro do marketing é o da audiência de massa. Não havia como falar com cada um de nós.

A ideia da audiência de massa é: atenção de uma aglomeração.
A dura realidade para as marcas é que somos cada vez menos aglomeração e cada vez mais indivíduos.

Tecnologia é uma palavra que ainda causa brotoejas na maior parte dos executivos de marketing. E talvez um dos grandes motivos para isso seja pelo fato de que ela libertou a massa.
Liberta por agora podemos ter acesso ao que queremos, na hora que queremos e temos milhares de informantes a quem perguntar. Podemos pesquisar antes de sair de casa. Podemos comprar sem sair de casa. Podemos perguntar para quem já comprou antes de comprar. Somos produtores de conteúdo. Criamos novos negócios que destroem negócios e empresas longamente estabelecidos.

Fazer propaganda para o indivíduo é muito mais difícil do que fazer propaganda para a massa.

Envolve interesse real pelo “consumidor indivíduo” num nível sem precedentes e necessidade de um aprendizado sobre ferramentas que não são familiares a praticamente à totalidade dos executivos que ocupam as cadeiras das áreas de marketing nos dias de hoje.
Fato é que esse interesse e aprendizado são escolhas inevitáveis para as marcas e executivos que desejarem sobreviver e serem bem sucedidos nos próximos anos.

Apenas porque a sociedade mudou e muda cada vez mais rápido em função de opções sem limite de escolhas que são oferecidas às pessoas – não consumidores – através da tecnologia. E são elas, como indivíduos e não como audiências, que escolherão as marcas que conhecerão um futuro.

Fonte: Meio&Mensagem

9 melhores práticas da nutrição de leads por e-mail

Recieving the spam

A nutrição de leads é um passo importante para que a sua marca se relacione com seus clientes de maneira mais próxima, despertando interesses e construindo um elo que antecede a compra e que se perpetua depois dela.

Uma das melhores maneiras de criar essa ligação é o relacionamento, o e-mail marketing se torna a escolha perfeita para nutrir leads e assim aprender aos poucos como lidar com os seus prospects, como mantê-los próximos e satisfeitos, até que se tornem clientes fiéis. Eis o porquê de termos selecionado 9 melhores práticas do mercado para a nutrição de leads por e-mail marketing. Esperamos que este artigo ajude na sua jornada!

Torne-se conhecido

Empresas conhecidas têm maior aceitabilidade por parte das pessoas, tanto na comercialização de produtos e serviços quanto na permissão para envio de e-mails marketing. Estudos da RainToday indicam que 65% das empresas conhecidas têm excelentes resultados com a geração de leads, portanto, construa sua marca com zêlo na internet, para que as pessoas se sintam mais confiantes em estabelecer um relacionamento com ela.

Seja influente

Torne-se um conselheiro, aquela empresa que antes de qualquer menção à venda, dá ao prospect o poder para decidir o que é melhor para ele. Para que isso aconteça, crie conteúdo relevante e ofereça-o gratuitamente, via e-mail marketing. Estabeleça a confiança antes de mais nada.

Desenvolva whitepapers

Whitepapers são documentos de 4 a 12 páginas que abordam um tema específico, dando ao cliente um conhecimento novo, que agregue valor ao dia a dia dele. Aborde temas interessantes para a sua audiência e conquiste credibilidade na rede.

Crie e-books

Os e-books são materiais extremamente bem aceitos pelos seus leads, pois trazem conhecimento rápido e de fácil absorção, geralmente com soluções que podem ser aplicadas imediatamente. Utilize versões como apresentações de Power Point, pois são mais dinâmicas e diretas, facilitando a leitura.

Use as mídias sociais

As mídias sociais estão no topo das estratégias de geração de leads e contribuem para gerar tráfego para sua landing page ou site. Trabalhando uma boa comunicação nas mídias sociais, você obtém a permissão da sua audiência para manter contato, podendo fortalecer suas estratégias de e-mail marketing junto aos seus leads.

Ofereça conteúdo premium

Conteúdos mais aprofundados e que solicitem em troca algumas informações são poderosas armas para nutrir a geração de leads por e-mail marketing. Obtendo os dados essenciais da sua audiência você envia e-mails marketing segmentados e de acordo com o perfil dos seus leads, aumentando o engajamento.

Utilize cases de sucesso

Na nutrição de leads não é proibido dizer os resultados que os seus clientes atingem com os seus serviços, desde que não seja algo recorrente. Crie materiais com estudos de caso onde sua marca tenha oferecido um serviço de qualidade e seu cliente tenha obtido sucesso. Não esqueça de solicitar alguns depoimentos para corroborar sua fala.

Faça webinars

Webinars são maneiras de manter um relacionamento mais próximo, oferecendo um conteúdo diferenciado para sua audiência e fomentando a geração de leads. Para inscrever-se no webinar, seu prospect deverá preencher um cadastro, iniciando assim um relacionamento de longo prazo com a sua marca.

Seja mais humano

As pessoas esperam por contatos mais reais, despidos das formalidades das empresas, pois gera mais empatia. Ao lidar com seus prospects e leads, seja pessoal, trate-os pelo nome, como se fossem amigos travando uma boa conversa. Nada de conteúdos herméticos e cheios de termos técnicos, o objetivo é o diálogo!

Fonte: E-commerce Brasil

A qualidade faz a diferença no e-mail marketing

email1

Ao checar algumas campanhas de e-mail marketing, até mesmo as mais simples, é surpreendente ver muitas coisas dando errado. Imagens quebradas, distorcidas ou com linhas brancas, mostrando que as mensagens não foram testadas nos provedores mais utilizados como Gmail, Hotmail, Yahoo ou programas como Outllook, etc.

Links e follow-up

Além disso, o que dizer de links quebrados ou sem correspondência? Basta ler um artigo em um e-mail, clicar na imagem para apenas cair na home page padrão… o que acontece muitas vezes em campanhas AdWords também!

Certifique-se de cada passo no clique da campanha seja válido. Links, formulários, downloads, teste todos. É ruim para sua reputação se alguém clica e o link não funciona ou não leva onde deveria (o que às vezes é ainda pior).

Você sabe quem eu sou, mas porque você usaria isso?

Um dos grandes benefícios do e-mail marketing é o banco de dados. Muitos remetentes conhecem algum ou muitos dados de seus clientes. A maioria de nós em algum momento já preencheu enormes formulários, digitais e analógicos. Por que então recebemos e-mails dizendo Caro senhor/senhora? Estamos em 2013, não em 1996!

Seria razoável se eles tivessem apenas nosso endereço de e-mail e quisessem conhecer os dados pessoais e preferências, mas na verdade muitos deles já possuem esses dados. Use-os então! É muito simples e traz mais valor para a campanha, mesmo sabendo que é apenas gestão de banco de dados e automação.

Seu e-mail parece ótimo no celular, mas o seu site…

É vantajoso ter seus e-mails otimizados para mobile. Você está à frente do resto e convertendo aqueles 15%, 30% que abrem seus e-mails em dispositivo móvel. No entanto, certifique-se de que quando você detectar acessos desse tipo, mantenha a experiência móvel! Não é divertido ir de um e-mail 100% visível e com ótima navegação para um site 25% visível que navega como um cavalo bêbado só porque seu site não pode detectar visitantes vindos de dispositivos móveis.

Velocidade

Por que o Google apresentou o Google Instant, que mostra resultados de busca enquanto você está escrevendo? Porque ele salvou alguns segundos do seu tempo pesquisando. Mas alguns segundos fazem a diferença?

Hoje em dia, as pessoas parecem não ter tempo ou paciência (ou ambos) para ler milhares de palavras em sua mensagem de e-mail marketing. Vá direto ao ponto, rápido! Quando isso é feito, elas podem continuar com o resto de suas tarefas. Não as faça esperar por transferências de imagens pesadas, navegar em uma página de destino lento ou ter que responder a dezenas de perguntas em uma pesquisa: menos é mais. Guarde isso para quando os encontrar pessoalmente, ou quando forem clientes realmente prontos para dar um pouco mais do precioso tempo deles a você.

E-mail marketing excelente = resultados excelentes

Como qualquer forma de comunicação ou de interação, o e-mail marketing merece um nível de qualidade e atendimento, onde você não apenas envia o material porque é aquele ‘período do mês’ novamente, ou ‘porque o chefe mandou’. Você envia suas campanhas de e-mail marketing pois tem orgulho delas, porque você tem certeza que tudo irá funcionar, porque você sabe que todos que receberem ficarão contentes com a forma como elas funcionam e como podem interagir com elas.

Seja excelente no e-mail marketing e os resultados serão excelentes também.

Fonte: E-commerce News